quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Confesso que começo hoje a escrever com regularidade

Quer dizer, ao menos vou tentar

Sei também que nos últimos meses tem alguma quantidade razoável de postagens, mas quase todas foram postadas nas últimas semanas, apenas coloquei uma data anterior. Porque? Ao contrário do que parece não é uma tentativa desenfreada de encher os arquivos do blog, é simplesmente uma maneira que encontrei de fazer as pazes comigo mesmo nas ideias que tive meses atrás e acabei não pondo em prática.

As ideias AINDA não vieram como eu quero, mas as coisas estão se encaminhando. Foi tudo graças a uma coisa que comecei a rabiscar no papel antes do almoço de hoje, enquanto ainda estava no trabalho. A foto está no final do post, a quem interessar possa.

Simplesmente me dei conta de que posso começar a colocar as coisas que tenho ao meu favor. Um smartphone razoável e um ótimo tablet, tal como um bom computador. Tudo como uma infinidade de aplicativos, programas e arquivos que de forma combinada, podem me ajudar a alcançar algum dos meus projetos pessoais.

Ciao.

Em meio ta tanta coisa rabiscada, as ideias surgem

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

A (sub)celebridade da semana

O lado mais podre da mídia, contado em capítulos semanais

Isso é ridículo, eu sei. Mas também sei que muitas das postagens deste site existem graças ao EGO, aquele lugar legal onde tu fica sabendo que famoso atravessou a rua na tarde de ontem ou qual (sub)celebridade estava postando fotos no Instagram no final de semana.

E como esse blog (e este que vos escreve) tem um prazer quase que sádico em descer a lenha nesse tipo de coisa e gente a ideia apareceu e resolvi colocar em prática, o que na prática não muda muita coisa, mas é uma ideia. Explico.

A partir de hoje, 01/08, vamos eleger uma (sub)celebridade por semana. Um apanhado de algumas fotos, um breve histórico sobre ela e três notícias recentes. Não é bem manter essa gente nos holofotes, mas tentar mostrar o quanto suas vidas são irrelevantes e o quanto é dada importância pra isso sem que haja necessidade. Eu sei, fica parecendo que eu estou dando a importância que considero tão desnecessária, mas acho que comentar isso de um lado não tão positivo (pra não chamar de negativo) transforma o foco e o propósito em outro.

E quando começa? Amanhã mesmo. Então, toda sexta-feira, teremos uma carinha nova por aqui.

sábado, 1 de junho de 2013

Grandes fotos 3x4 de ilustres desconhecidos

pessoas que você não conhece e que provavelmente, nunca virá a conhecer

Ninguém gosta de fotos 3x4. Quer dizer, ninguém gosta da própria foto mas adora rir da foto dos outros. Eu mesmo não gosto da minha mas coleciono a dos outros, é, um dos meus passatempos é garimpar fotos de gente que eu nem conheço formando uma pequena coleção e agora, vou colocando elas por aqui ao longo deste mês de junho e enquanto eu sentir vontade.

Acho que vai ser interessante. Pode resultar alguma coisa legal disso tudo. Ou simplesmente, meu blog vai virar um álbum com fotos de pessoas que nunca vi (e provavelmente nunca verei) em toda minha existência, salvo raras exceções. E se alguém for o 'dono da imagem' é só pedir que eu retiro, sem problema algum.



domingo, 26 de maio de 2013

Burilo Menício way of estilo...

Giovanna Antonelli reuniu alguns familiares e amigos, neste domingo, 26, para celebrar o aniversário de Pietro. Fruto do seu casamento com o ator Murilo Benício, Pietro completou oito anos na última sexta-feira. (...)

Não sou crítico de moda, talvez nem entenda nada do assunto como eu realmente acho que sei alguma coisa, mas quem se importa com o aniversário do moleque quando o pai do aniversariante vai vestido assim:


Camiseta vermelha, José? Caça azul dobrada na barra, José? MOCASSIM SEM MEIA, JOSÉ?!?!?!

quarta-feira, 22 de maio de 2013

A Origem das Subcelebridades Nacionais


ou, A Fogueteira do Maracanã


Pra quem não sabe, a Fogueteira do Maracanã foi como ficou conhecida Rosinery Mello do Nascimento Barcelos da Silva. Tudo se deu em setembro de 1989, no jogo Brasil e Chile, pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 1990. 

O Brasil vencia a partida por 1x0, quando aos 24 minutos do segundo tempo, surge uma cortina de fumaça no gramado e o goleiro do Chile, Roberto Rojas estava caído no chão.

O goleiro ferido em meio a fumaça do sinalizador que foi atirado por Rosiney -que a esta altura já era a Fogueteira do Maracanã- e a confusão estava armada. Somente depois que foi descoberto que tudo não passava de uma armação de Rojas e da comissão técnica chilena.
A essa altura, Rosinery já tinha passado 24h presa por conta de todo mal entendido. Posteriormente a
isso, Rosinery recebeu um convite para posar para Playboy, com um cachê de US$40 mil.

Em tempo: Rosiney faleceu em Junho de 2011, vítima de morte cerebral, aos 45 anos.






terça-feira, 14 de maio de 2013

A palavra do dia é:

atropelada
a.tro.pe.la.da
Substantivo feminino (de atropelar)
1. Ato de atropelar.
2. Investida, agressão.

"A Peladona de Congonhas passou por maus momentos na tarde desta terça-feira, 14.(...)
Por pura coincidência, garante ela, um paparazzo estava de plantão e registrou o ocorrido
'Estava atravessando a rua distraída, usando o fone de ouvido do celular, quando o sinal abriu e fui pega de surpresa'"


Confira as fotos abaixo e responda:


a) Houve realmente um atropelamento?
b) O que um fotógrafo fazia neste lugar?
c) Ela parece distraída?
d) Quem diabos é essa tal de Peladona de Congonhas?!

Boa noite.

terça-feira, 23 de abril de 2013

Powerslave, 1984


O ano é 1984, nem no saco do meu pai eu deveria estar, mais precisamente em 3 de setembro é lançado o disco Powerslave, do Iron Maiden. Um dos discos que, junto de The Number of the Beast se tornaria com o passar dos anos, um dos álbuns mais icônicos da carreira da banda.
---
Vinte e oito anos depois, eu resolvo colocar o disco no meu iPod para ir apreciando os acordes das guitarras de Dave Murray e Adrian Smith enquanto percorro minha via sacra até a faculdade. Incrível! O caminho -ainda que curto- se tornava menos totuoso e mais agradável de ser percorrido junto do Iron Maiden.

Run,
Live to fly, fly to live, do or die
Won't you
Run, live to fly, fly to live
Aces high¹
                                                 Aces High
E estava eu descendo do ônibus, distante alguns minutos da faculdade. Mais alguns metros e estava eu, cruzando o portão de entrada, enquanto Bruce Dickinson entoava em alto e bom som Rolling, turning, diving / Rolling, turning, diving / Going in again, eu me sentia dentro da música, era parte dela e aquilo de alguma forma estava fazendo parte de mim. Não sei se pela história da música ser algo que me desperta interesse, se foi minha paixão pelo Heavy Metal ou o despertar daquela admiração que tenho há anos pelo Maiden.

The killer's breed or the Demon's seed,
The glamour, the fortune, the pain,
Go to war again, blood is freedom's stain,
Don't you pray for my soul anymore.²
                                                 2 Minutes to Midnight
E chego ao prédio principal da faculdade, que mesmo encharcado de suor em um dia úmido, subo as escadas com um pouco de pressa. Mal tenho tempo para sentar e bater os pés no chão junto de Nicko McBrain, sou bombardeado por colegas desesperados por conta do trabalho que teria de ser apresentado naquela noite. Nada mais de Iron Maiden para mim. Ao menos até a hora de ir embora.

You'll die as you lived
In the flash of a blade,
In a corner forgotten by no-one.
You lived for the touch
For the feel of the steel,
One man, and his Honour.³
                                                 Flash of the Blade
E eu estou voltando para casa. Em uma das mãos, pausando o iPod, na outra o celular, discando para a Dona Namorada e avisando que o quanto antes estaria chegando ao conforto do nosso canto.


quarta-feira, 13 de março de 2013

Então o japonês não é feio

e outras coisas nem tão relevantes sobre a sensação virgem do momento


"Eu o conheci em um jantar em Sydney, na Austrália. Ele fez o pedido para jantar antes da primeira vez e aceitei. Fui com dois amigos e o Justin [produtor]. Ele não gostou muito de não ter sido só comigo, mas foi por segurança e ele aceitou. Durou pouco mais de uma hora. Falamos em inglês e foi uma conversa legal. Posso dizer que ele não é feio."

Essa história já começou com um estardalhaço desnecessário, foi dada atenção desnecessária -e é nesse exato momento que eu sou criticado por estar dando atenção também, mas foda-se. O que eu quero dizer por aqui é que (ainda) não entendi todo esse furor por conta de uma guria feia que supostamente leiloou a virgindade. Eu digo supostamente porque segundo fontes nada confiáveis, a guria se chama Ingrid. E não me venham com laudos médicos, o que foi trazido a mídia não convence. Nem um pouco.

Olhando rápido para este suposto laudo já consigo perceber muita coisa que me deixa bastante em dúvida. Vamos a elas:

1 - O tal Dr. Nihad Jackson supostamente até existe, mas o único site que encontrei que fala sobre ele não tem nenhuma informação mais relevante sobre o cara, pode muito bem ter sido cadastrado com qualquer informação de qualquer um;

2 - Também no cabeçalho, nas informações do sujeito, o último deles está em azul e sublinhado, ou seja, é um hyperlink, não que necessariamente só exista uma versão digital deste suposto laudo (o que também é possível), mas também que ele foi impresso dessa forma, com uma impressora jato de tinta qualquer. Que médico que não se presta a imprimir numa gráfica um bloco dos seus laudos/receituários?

3 - O mesmo vale para o que tem no rodapé. Outra coisa bastante esquisita;

4 - A qualidade do documento é sofrível, além algumas rasuras bem desnecessárias;

5 - Por fim, aparentemente, quem assina é outra pessoa, não o Dr. Nihad Jackson. E mais: não tem sequer um carimbo do médico que traga qualquer outro tipo de informação.

Enfim, pode até ser tudo teoria da conspiração da minha parte ou mais uma bobagem que publiquei por aqui, mas o que realmente importa é que o japonês não é feio.

Que bom que ao menos o japonês não é feio, já que da Catarina eu não posso dizer o mesmo

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Eu disse

mas ninguém me ouviu porque ninguém lê o meu blog


Fonte: MSN Famosidades
Não é por nada, mas eu já tinha falado nisso por aqui esses tempos.

Só me resta levantar a placa.


sábado, 16 de fevereiro de 2013

8Gb serão sempre suficientes

só eu que nunca vou aceitar isso

Imagem meramente ilustrativa


Explico.
Faz alguns anos que sou um feliz proprietário de um iPod nano. Meu primeiro brinquedinho da Apple, diga-se de passagem.

Não sou do tipo de cara que passa o dia com os fones enterrados no ouvido, mas gosto bastante de música. 

O problema é justamente que enfiei na cabeça que meu iPod não está mais atendendo minhas necessidades, achando que os 8Gb são pouco demais e o ideal seria ter um iPod Classic de 160Gb, encher de discografias e ter realmente tudo que eu quero para ouvir. Não necessariamente.

Atualmente, meu iPod está com 1082 músicas, 46.0Mb livres, e a grande maioria dos meus discos de Power Metal e Heavy Metal preferidos. E no espaço livre, dá pra colocar ainda mais um disco.

E mesmo que tenha ali os meus discos preferidos, eu possa saltar entre Viper e Anthrax, Bob Dylan e Primal Fear, eu nunca acabo ouvindo tudo que tem ali. Nunca. Pra falar a verdade, tem coisas que eu nunca ouço e me pergunto porque ainda estão ali e porque não removo.

A pergunta é: porque eu fico me martelando, querendo saber quando vou poder comprar um iPod maior se mal dou conta de usar totalmente a capacidade do que eu tenho? Coisa de consumista desenfreado como eu mesmo, só pode...

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Saldo do Carnaval 2013:

Daniela Mercury levou um soco


E como pode-se observar, isso não muda nada a sua vida.
De nada.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Um Perdido em uma Noite Escura


 Domingo, 21h37 o telefone de Geraldo dá um toque: 
 "Filho, acho que entrei na rua errada. Me liga. Beijos, papai". Dizia o SMS de Astor
 - Puta merda, Marília, meu pai se perdeu!
 - Como assim, Geraldo? Como tu sabe?
 - Recebi um SMS do velho agora…
 - E o que dizia?  
 - Que ele entrou na rua errada… Vou ter que ir buscar o velho.
 - Calma, Geraldo… Só liga pra ele e vê onde ele está, quem sabe dê para ajudar…
 - Será? Vai que ele se apavora mais, acho que vou sair e procurar ele.
 - Mas tu nem sabe onde ele tá. Liga antes.
 - É mesmo, vou ligar… Geraldo ligou uma, duas, cinco vezes e nada de o pai atender.
 Começava a se preocupar, fazia uns quinze minutos desde que o pai tinha mandado um SMS e não tinham mais mantido contato. 
 - Não adianta, Marília, ele não atende. E se ele foi assaltado? E se ele se perdeu ainda mais?
 - Teu pai é um cara esperto, relaxa. Ele deve ter encontrado um posto de gasolina e pediu informação.
 - Bem, pode ser também.  Vou tentar ligar mais uma vez. Antes de começar a discar o número do pai, chega outro SMS:
 "Filhão, papai não ouviu o telefone tocar, o que tu queria mesmo?
 - Cacete, mas que velho pirado… Porque não me liga ao invés de me mandar SMS? E como assim o que eu queria? Ele não queria ajuda para achar o caminho?
 - Liga pra ele. Agora é possível que ele atenda.
 - É verdade… Tomara. E Geraldo discou o número do pai.
 - Alô! Alô! Alô! Aqui é o Astor, eu estou perdido, não posso falar agora, tenho que achar o caminho para…
 - Pai, espera! Sou eu, Geraldo, teu filho! Quero te aju...
 E Astor desligou o telefone.
 - Acredita que ele desligou o telefone na minha cara?
 - Jura? Poxa…
 - Vou insistir… Quando começou a discar o número do pai, outro SMS:
 - Filho! Oi! Estou aqui na frente da tua casa já, achei o caminho!
 - Finalmente! Geraldo respirava aliviado.
 Astor entrou. Conversaram por horas. Deram boas risadas de tudo que aconteceu, ainda que Astor não tinha entendido nada da parte que o filho ligou para tentar ajudar e ele acabou desligando o telefone. Geraldo prometeu comprar um GPS para o pai, que dizia não precisar de tecnologia alguma para encontrar o caminho de casa ou de qualquer outro lugar. 
 Meia hora depois que Astor tinha saído, o telefone de Geraldo toca:
 - Filho! É papai! Acho que escolhi a rua errada. O que eu faço? Dizia um novo SMS.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Postagem de ano novo

Todo final de ano é rodeado de promessas e coisas que nunca se faz.
Eu já pensei que iria retomar o blog quando comprasse um netbook. Comprei e continuou na mesma.
Pensei que mudaria quando compraria um computador novo e que me irritasse menos com ele. Troquei de computador, até ganhei um iPad de Natal mas as coisas continuam as mesmas, por isso um formulário contínuo é o que melhor explica minha ausência de postagens. Shit happens.
E agora em 2013 eu vou fazer um post por dia, dinamizar esse espaço e fazer do blog algo que eu sempre quis fazer. Mentira. Eu bem que gostaria fazer isso, mas sei que não vou me doutrinar para essas coisas.