sexta-feira, 1 de abril de 2011

Ozzy Osbourne - Scream Tour 2011

Na última quarta-feira, 30.03, saí uma hora mais cedo do trabalho, rumo ao estádio do time rival ao meu, mas com um propósito: 21h, show de Ozzy Osbourne, era praticamente o sonho de uma criança que cresceu ao som de Black Sabbath.
Uma pequena fila para retirar o ingresso, logo após, uma Heineken gelada e um cigarro para esquecer o cansaço e o dia abafado. Depois, encontrar o final da fila, depois de muito caminhar, encontrei o final e fiz as características amizades de fila.
Cada passo mais próximo de entrar dentro do ginásio e a empolgação em saber que eu estava distante de Ozzy apenas alguns minutos. Não que eu tivesse credenciais que me levariam ao camarim e me permitiriam ver Ozzy devorar e saborear um morcego como uma pessoa normal, mas sim a empolgação de ver um ídolo ao vivo, de perto.

Depois de tanta espera e conversa, finalmente, entramos no ginásio. Como já era de se esperar, banda de apresentação (em que o vocalista mais parecia um Billy Corgan em escala menor de qualidade), não que a música ou o instrumental dos caras fossem ruins, mas o pessoal estava ali aquela noite por causa de Ozzy Osbourne, não uma banda aleatória,  que teve o privilégio de ser a banda de apresentação. Com uma pontualidade britância, Ozzy sobre ao palco e abre o show com Bark at the Moon, trazendo a galera toda abaixo. Logo no começo da apresentação, uma bandeira do Grêmio é arremessada na direção do palco e Ozzy pega e coloca sobre os ombros, deixando a torcida colorada (dentro da própria casa) desnorteada. Tak feio causou furor pelo país todo. O que ninguém parou para pensar é que, Ozzy Osbourne certamente, sequer sabia em que lugar do mundo estava, o cara é inglês, de futebol ele  deve conhecer o Manchester United e o Liverpool, talvez, mas nada além disso. O show segue com Let Me Hear You Scream, única música realmente boa do último disco, o que me deixa um pouco decepcionado,  não é preciso ser nenhum crítico de música para notar a diferença em Blizzard of Ozz (1980) e Scream (2010). O show todo teve pouco mais de 1h30 de duração, tempo o suficiente para que eu pudesse me sentir em extase por ver Ozzy de perto e ver o show ser encerrado em grande estilo: tocando Paranoid.

Nenhum comentário:

Postar um comentário