quinta-feira, 31 de março de 2011

Todo mundo só fala em...

Rebecca Black

Minha opinião sobre é bastante direta: Ruim ou não (eu ainda não consegui formar uma opinião definitiva sobre), Rebecca Black tem todo o direito ao estrelato quanto Justin Bieber, sem ironias. Ambos são jovens e tem mais é que correr atrás daquilo que acham certo, seja um sonho ou qualquer outra coisa. E mais, ainda que a maioria diga que Rebecca Black seja ruim, ela conseguiu chegar onde muitos ainda hoje tentam e não chegaram nem perto.

terça-feira, 29 de março de 2011

Eu e as séries

um breve apanhado de como eu me entreguei a este mundo
Nem sempre eu fui um cara que gostou de séries como eu gosto hoje. Lembro bem da época em que meninas se escabelavam assistindo The O.C., os meninos queriam saber o que tinha por vir em Smallville sem contar as tantas outras séries que foram febre por muito tempo, eu sempre fui na contramão disso tudo. Não baixava, não tinha TV a cabo para assistir então eu deixava por isso mesmo. 
Mas ao que me lembro bem, um episódio aleatório de Friends conquistou o coraçãozinho deste ser que até então, nunca tinha tido o saco suficiente para acompanhar uma série.
Toda essa papagaiada para chegar numa conclusão: tentarei me dar ao trabalho de falar de cada episódio de Friends, aproveitando que me dei o box com as dez temporadas de presente de Natal e, ver se consigo uma doutrina legal para falar de algo legal por aqui.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Os Aspones

A madrugada de hoje promete. Assisto os quatro episódios que faltam e em seguida começo a assistir outra série.

quinta-feira, 24 de março de 2011

As idéias estão surgindo...


GIFSoup

É aguardar e ver até onde elas vão me levar...

E por mais que tenha um Rickrolld ilustrando o post, não estou ironizando.

quarta-feira, 23 de março de 2011


GIFSoup

Acho que nunca estive tão decidido como estou atualmente. E isso é bom.
Sempre tive mil e uma coisas em mente e nunca me mexi o suficiente para realizar nenhuma delas. Hoje, coloquei em mente que algumas coisas na minha vida tem de ser mudadas. E não há quem o o que mude isso.

terça-feira, 22 de março de 2011

Comunidade AD

A Assembleia de Deus – Ministério do Belém lançou sua própria versão de rede social, na intenção de promover "maior alcance na busca de pessoas ainda não convertidas" e unir os fiéis em uma plataforma exclusiva. O site foi batizado de Comunidade AD e a única maneira de ser usado em sua plena forma é mediante pagamento mensal.

Para se cadastrar, o usuário precisa explicar qual seu vínculo com a congregação. São sete opções entre pastor, membro, visitante, obreiro, presbítero, jovem/adolescente ou missionário. Além disso, é necessário informar a qual setor pertence e qual igreja da rede frequenta.

No próximo passo, o interessado escolhe entre um dos dois planos de assinatura: ‘Ouro’ ou ‘Básico’. O primeiro oferece três tipos de pagamento: semestral, ao custo de R$ 9,95 por mês ou 59,70 à vista; trimestral, que sai por R$ 13,95 ao mês ou R$ 41,85 à vista; e mensal, por R$ 14,95. Há opções para pagamento em boleto ou por meio de um cartão promocional pré-pago.
(...) Via AdNews

Por mais incrível que pareça, isso é sério. E mais triste ainda é pensar que vai ter quem pague para usar isso.

domingo, 20 de março de 2011

1979

We don't even care, as restless as we are
We feel the pull in the land of a thousand guilts
And poured cement, lamented and assured
To the lights and towns below
Faster than the speed of sound
Faster than we thought we'd go, beneath the sound of hope
(...)
The Smashing Pumpkins - 1979



Incrível como uma música pode te dizer tanto. No meu caso, entre tantas músicas no meu vasto gosto musical, 1979 é uma que tem este poder. 
Digamos que lembrei que ela existia, assim que comecei a jogar GTA IV, corri pra baixar o CD (Mellon Collie and the Infinite Sadness, 1995) e enquanto ouvia, abri o eBay e comprei o álbum, era mais um disco que entrava na coleção. O que me deixou mais besta comigo mesmo não foi só a música em si, mas comecei a ouvir ela seguidamente. Sabe aquela coisa de deixar a música tocando num looping (quase) infinito? Pois é... 
Curioso eu não lembrar o significado de The Smashing Pumpkins para minha vida musical e o fato de ouvir uma música tornar tudo extreamente diferente.

A Maginalização das (Nossas) Escolhas

De acordo com a Wikipedia, marginalização é:
(...)marginalização é o processo social de se tornar ou ser tornado marginal (relegar ou confinar a uma condição social inferior, à beira ou à margem da sociedade). Ser marginalizado significa estar separado do resto da sociedade, forçado a ocupar as beiras ou as margens e a não estar no centro das coisas. Pessoas marginalizadas não são consideradas parte da sociedade.


Juro que eu queria entender o porque dessas coisas. De coração. Chego a pensar que perdemos o direito de sermos nós mesmos, existe todo um medo, um receio de expressar o que gosta e o que se quer, por conta do que os outros vão pensar.
A merda se dá, de vez em sempre. Tu resolve mostrar que tu gosta de alguma coisa, que tu te sente feliz com algo e vem aquele filha da puta patrolar o que tu sente.
Eu me pergunto o porque disso tudo. Onde ficou o direito individual de cada um ser feliz como bem entende...


sábado, 19 de março de 2011

Os Aspones

Confesso que não assisti ao seriado na época de exibição (isso por idos de 2004), nunca fui de confiar muito em séries Globais. Mas por ter um carinho imenso por O Sistema, que assim como Os Aspones, tem o roteiro da cheirosa, fofinha, magnânima, salve salve, Fernanda Young e o voto de confiança que dei as séries mais recentes, me fez conferir do que se tratava Os Aspones. Começo essa sexta, depois, eu conto pra você(s) todas minhas impressões sobre o seriado.

quinta-feira, 17 de março de 2011

St. Patrick's Day



Abram a cerveja onde quer que estejam e comemorem!

Dois dias sem trabalhar

e não foi bem porque eu quis, garganta fechada e nariz congestionado me jogaram na cama. Ontem e hoje.
Esses dois dias na cama, ouvindo a família, tentando ser útil em alguma coisa dentro de casa (mesmo tu estando doente, pode vir aquele comentário dizendo que tu te fazendo de coitado ou qualquer coisa semelhante...) me fizeram pensar.
Pensei como há tempos não pensava, coloquei tudo na mesa para mim mesmo. Pai, mãe, irmã, irmão, padrasto, emprego, amigos, namorada, preferências... me senti um idiota... eu tomo as dores por aqueles que eu amo, me dá uma agonia profunda não poder ajudar, as coisas fugirem do meu alcance, preciso falar que me frustro? Acho que não.
Vem aquela vontade gritar, de levar o mundo nas costas e dizer que tu vai conseguir fazer com que as coisas se ajeitem. É, seria fácil se fosse assim ou se fosse só isso. Não desisti ainda. Só estou procurando um meio, um jeito de fazer com que as coisas se acertem. 
Mas como diria minha saudosa avó, vamos rir que a morte é certa...
 

segunda-feira, 14 de março de 2011

Duetos que me deixam sem palavras #1

Acho que mesmo sem saber quem é Neil Sedaka (eu mesmo não sabia quem era), em algum momento, já deve ter ouvido Oh! Carol. Não? Tem certeza. Bem, é esta aqui:


Agora, quando se juntam dois monstros como Chuck Berry e Keith Richards para fazer tal cover, o resultado é simplesmente fascinante:



domingo, 13 de março de 2011

Eu sou um idiota

(o bom é que eu tenho plena consciência disto)
Hoje eu estava pensando em fazer (outro) blog. O que me salvou de fazer tal bobagem foi o fato de que o nome que eu tinha em mente, já estava sendo utilizado. Aí pensei porque não colocar o que eu queria colocar num lugar novo por aqui? Se eu quero mesmo que isso aqui se torne um espaço dinâmico, é isso que eu tenho que fazer. Ficar falando sempre em filme não dá (por mais que eu os assista de vez em sempre), eu não consigo o dinamismo que eu queria e nem sempre eu lembro de tudo que assisti.
E enquanto eu escrevo, algumas pequenas idéias circulam pela minha cabeça. Livros, jogos, HQs e muito mais... Porque não? Eu posso conseguir meu dinamismo, não ficar tão limitado a uma coisa só, abrir cereais de outros sabores, se é que da para entender alguma coisa com isso. 
Outra coisa que fa muito parte de mim e eu nunca falo aqui: música. Sempre com um CD "novo" no iPod, um download em execução e eu guardo para mim o que eu poderia estar falando aqui. Porque? Nem eu sei, só sei que quero e vou mudar as coisas. O quanto antes.

PS3 fail

Encontrei esse banner, lendo umas matérias pelos sites da Globo...

sexta-feira, 11 de março de 2011

Tropa de Elite 2

Nascimento (Wagner Moura), agora coronel, foi afastado do BOPE por conta de uma mal sucedida operação. Desta forma, ele vai parar na inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Estado. Contudo, ele descobre que o sistema que tanto combate é mais podre do que imagina e que o buraco é bem mais embaixo. Seus problemas só aumentam, porque o filho Rafael (Pedro Van Held) tornou-se adolescente, Rosane (Maria Ribeiro) não é mais sua esposa e seu arqui inimigo Fraga (Irandhir Santos) ocupa posição de destaque no seio de sua família.
 Tropa de Elite 2 (Tropa de Elite 2, 2010) me deu um tapa (e bem dado) na cara. Me senti um idiota vendo o filme. Saber que tudo aquilo que ele retrata realmente acontece. José Padilha conseguiu mais uma vez prender minha atenção de uma forma que poucos filmes da categoria até hoje conseguiram. Minha anseidade pela sequencia de cenas, a revolta, a esperança... todo conjunto de elementos que faz com que o filme seja indescritível.

Tangled

Enrolados (Tangled, 2010) é um filme animado de aventura que conta a história da menina que tem um gigantesco cabelo que nunca é cortado, seu nome Rapunzel. Rapunzel, a princesa que foi raptada quando bebê é mantida presa em uma torre e sonha com aventuras. Agora uma adolescente determinada, ela realiza uma fuga de arrepiar os cabelos com ajuda de um ousado bandido. Com o segredo de sua linhagem pesando na balança, Rapunzel e seu amigo encontram aventura, emoção, humor e cabelos… Muitos cabelos.
Confesso que eu não estava empolgado para assistir este filme. Sinto falta é das animações em 2D da Disney, Enrolados era de longe um filme que eu pensei que fosse gostar. Mas gostei. Apesar de uma história bobinha, a releitura ficou bacana, conseguiu me arrancar algumas risadas. A cópia dublada só tem um problema: Luciano Huck no elenco de dublagem. Não tenho nada contra o Huck (nem a favor, pra ser sincero), mas com tanto dublador bom, gente qualificada para isto e me colocam ele para dublar só porque é alguém conhecido. Nisso, fica o meu berro: Porque?!?!?!

terça-feira, 1 de março de 2011

Kondom des Grauens

Após perder um dos testículos para a temível camisinha assassina, o detetive Luigi Mackeroni (Udo Samel) tenta eliminar a ameaça de látex, criada por seita de loucos que querem eliminar os tarados de Nova York. Baseado nos quadrinhos de Ralph Konig.
A Camisinha Assassina (Kondom des Grauens, 1996) é isso mesmo que tu leu, camisinhas assassinas... eu lembro de ver o VHS deste filme na prateleira da locadora onde eu ia jogar video game com meus primos quando criança e lembro de ter escrito na capa algo como agora é ela quem come você até que um dia eu e os moleques resolvemos saciar a curiosidade e locamos tal filme... Maldita hora em que juntamos as moedas e imploramos ao balconista da locadora em nos deixar levar o filme... Eu gosto de filmes trash, de verdade, mas tudo tem um limite. Camisinhas assassinas, que querem eliminar tarados na cidade? Então somente tarados usam camisinhas? Não sei... também não consigo (assim como na época) esboçar alguma reação sobre o filme, seja ela boa ou ruim...