domingo, 30 de janeiro de 2011

Amor em 4 Atos

Nunca fui lá um grande fã de Chico Buarque como é minha mãe.  Uma música ou outra dele que me agrada aos ouvidos. Não entendo essa juventude que se entitula cult sem saber ao certo o que é isso ficar arrotando aos sete ventos que Chico Buarque é um exemplo raro de melodia, que não existe músico brasileiro como ele e merda em cima de merda... Se não existe músico como ele em terras brasileiras, eu pergunto para essa molecada se eles sabem ao menos quem é e o que representa Hermeto Pascoal e porra, mesmo eu admirando o cara pra caramba, acho sem necessidade ficar exaltando isso o tempo todo.
Mas achei a premissa interessante... transformar algumas músicas de Chico Buarque em uma história, somente quatro episódios, o suficiente para não se irritar com Chico Buarque e trazer alguma história no minímo interessante.
Então, depois de assistir ao primeiro episódio na madrugada da semana passada, na madrugada desta sexta pra sábado resolvi assistir aos episódios faltantes. Se tem uma palavra que eu possa definir minha avaliação num apanhado geral foi que os episódios em si são fracos. 
Então, nos quatro posts seguintes, eu conto um pouco da minha impressão com cada um deles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário