segunda-feira, 19 de julho de 2010

Mulan

Como disse na postagem anterior, a Disney tem a fina capacidade de mesclagem de assuntos e conseguir abordar os mesmos de uma forma única e cativante. Mulan (Mulan, 1998). Dono de uma trama envolvente, Mulan foi um filme que me pegou de jeito desde a primeira vez que assisti, quando minha irmã ganhou o VHS, isso por idos de 1998, de lá pra cá, foram incontáveis vezes que assisti, sempre me deslumbrando e divertindo. 

Uma antiga lenda chinesa é transformada como que por magia, numa aventura sem paralelo repleta de emoção, acção e diversão: o 36º Clássico de animação da Disney, MULAN.
Uma inquieta jovem chamada Mulan, pouco adaptada às tradições milenares da sociedade em que vive, descobre que o seu debilitado pai foi destacado para ajudar a defender a China da invasão dos Hunos. Num ato de bravura e amor, Mulan decide disfarçar-se de homem e toma o lugar do seu pai no Exército Imperial, juntando-se a um divertido grupo de guerreiros liderados pelo charmoso Capitão Shang.
A seu lado estão sempre o seu hilariante guardião, um dragão, Mushu, e o grilo da sorte, Cri-kee. Mas Mulan precisa de mais do que o aguçado engenho de Mushu para derrotar o implacável líder dos Hunos, Shan-Yiu. Só seguindo o seu coração conseguirá Mulan transformar-se num exímio guerreiro, trazer a vitória ao seu povo e devolver a tão ansiada honra à sua família.

Nenhum comentário:

Postar um comentário