segunda-feira, 22 de junho de 2009

Resenha, opinião e outros devaneios sobre um CD, Parte 1

Rosa Tattooada - Rosa Tattooada [1992]


De acordo com o Last.fm, A Banda Rosa Tattooada é uma banda brasileira de hard rock formada em Porto Alegre em meados de 1988, com influências em Kiss, Poison, Guns n’ Roses entre outras.

Pessoalmente, nunca gostei da banda, mas hoje indo para o trabalho, uma rádio qualquer sintonizada e tocando o hit O Inferno Vai Ter Que Esperar, me fez pensar em escrever este texto e do nada comecei a cantarolar a letra junto, com o entusiasmo de um legítimo fã da banda. Falei para mim mesmo que chegaria do trabalho e iria baixar um CD da banda. Dito e feito: Cá estou eu, ouvindo o CD da tal banda e escrevendo minha opinião a respeito. Na minha (modesta e que não vale nada) opinião, não é exatamente o que se pode chamar de uma banda boa, daquelas que tu faz questão de baixar a discografia, colocar no iPod e fazer o sync das capas para que fiquem bonitinhas no Cover Flow. Não. É só uma banda que tu baixa um álbum (no meu caso, o primeiro), ouve algumas vezes e esquece aquele .rar de pouco mais de 60Mb atirado em algum canto do HDD. Por mais que tenham sido expressivos na época em que surgiram, tenham conquistado um público grande, um grande reconhecimento dentro do cenário do Hard Rock nacional (tanto é que abriram a noite do Guns N' Roses no Rock In Rio II), nada disso foi o bastante, já que, afinal, quantas pessoas ainda hoje lembram da existência da banda. E mais, os caras ainda tocam? Sinceramente, não sei.
Pra quem tiver curiosidade de conhecer a banda, o link para baixar o CD em questão, está aqui. Créditos ao blog Então era Wilson, pelo link do download do CD.
Senha para descompactar o arquivo: erawilson

domingo, 21 de junho de 2009

Na realidade eu tenho um blog,

um blog que ninguém conhece, é verdade. Mas tenho

E este aqui aparece com um propósito diferente, ao menos para mim. Quero escrever aqui, minhas opiniões a respeito de CDs e DVDs, coisas que gosto ou deixo de gostar, minha análise em cima de coisas que assisto, leio e ouço, não precisando ser necessariamente resenhas, assim não preciso ser (tão) imparcial e como bom entusiasta de ambas coisas, resolvi fazer isto, ao menos me mantenho escrevendo. Eu poderia colocar isto dentro do meu blog, talvez criar um subdominío, mas por algum motivo, achei mais interessante criar um lugar novo para isso. E o nome (modéstia a parte) achei bastante contextualizado com meu propósito, e o mais curioso de tudo é que a idéia de nome me veio em mente rápido, ao contrário do que sempre me acontece, quando penso em um blog ou coisa parecida. Não sei muito bem como fazer postagens de estréia, então, fica assim mesmo, já que na próxima postagem, eu começo com o propósito original, quando isso aqui foi idealizado.